domingo, 23 de janeiro de 2011

No Princípio Era o Verbo...

O que querem dizer as palavras de João 1:1, ‘No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus’?



Vamos por partes. O termo “no princípio indica o tempo mais remoto que se possa conceber, antes da criação de "todas as coisas" (verso 3), antes de todo e de qualquer outro "princípio". Isto é, a eternidade passada.

O relato da criação começa com as palavras hebréias equivalentes (ver com. Gên. 1: 1). Em Gên. 1: 1 se refere ao "princípio" deste mundo. Mas o "Verbo" de João 1:1-4 é o Criador de todas as coisas e portanto precede ao "princípio" de Gên. 1: 1. De modo que "o princípio" de Juan 1: 1 é anterior ao "princípio" de Gên. 1: 1. Quando começou tudo o que teve um princípio, o "Verbo" já "era".

O fato de usar o verbo era em primeiro lugar no texto aí dá uma idéia da continuidade de existência, como se fosse um "sendo". O Verbo era por toda a eternidade.

Tanto com o significado das palavras como com a forma delas, João faz ressaltar a contínua, atemporal e ilimitada existência de Cristo antes de sua encarnação. Na eternidade passada não teve um ponto de referência antes do qual se pudesse ter dito que não existia o Verbo. O Filho existia com o Pai, desde toda a eternidade. "Nunca teve um tempo quando ele não tenha estado em estreita relação com o Deus eterno" (Ev 446). Você pode comparar com Apoc. 22: 13 onde Jesus se proclama a si mesmo "o princípio e o fim", ou seja, aquele que é "o mesmo ontem, e hoje, e pelos séculos" (Heb. 13: 8).

A palavra grega gínomai, empregada no versículo 14, aparece também no verso 3 ao referir-se à criação de todas as coisas. Quer dizer que, literalmente, "todas as coisas por ele chegaram a ser". Jesus declarou: "antes que Abraão fosse, eu sou (8: 58). O mesmo contraste aparece no Sal. 90: 2: "Antes que as montanhas chegassem a ser, desde o século e até o século tu és Deus".

Agora, o termo “verbo” vem do grego lógos, "palavra", ou "exclamação", "dito", "discurso", "narração", "relato", "tratado", com ênfase na disposição sistemática e cheia de significado dos pensamentos assim expressados. Aqui João emprega o termo para designar a Cristo, quem veio para revelar o caráter, a mente e a vontade do Pai, bem como um discurso é a expressão de idéias. O termo identifica a Cristo como a expressão encarnada da vontade do Pai de que todos os homens sejam salvos (1 Tim. 2: 4), como "o pensamento de Deus fato audível" (DTG 11). O Filho já existia, antes da encarnação, mas não o conhecíamos. Para nós, existia somente em palavra, oral ou escrita. Mas vindo a plenitude dos tempos, o que era palavra, teoria, se encarnou, se tornou visível, pela pessoa de Jesus.

Quando João diz assim que o verbo estava com Deus, ele está querendo denotar relação íntima e companheirismo. A palavra aqui implica estreita relação pessoal numa empresa de interesse mútuo e incumbência de ambos.

O fato de que o Verbo estava "com Deus", isto é com o Pai, enfaticamente declara que ele era um ser completamente diferente do Pai. Como o aclara o contexto, o Verbo estava relacionado com Deus num sentido único e exclusivo. O Verbo era "com Deus" na eternidade passada, mas se fez "carne" a fim de estar com "nós", isto é, conosco. Veio a ser o Emanuel; o "Deus conosco" (Mt. 1: 23). É impossível compreender a importância da encarnação a não ser que se projete a mesma no pano de fundo da existência eterna de Cristo como Deus e como intimamente unido a Deus.

O Verbo era Deus. João quer dizer que o Verbo participava da essência da Trindade, que era divino no sentido máximo e absoluto.

Cristo é eternamente Deus no sentido supremo e absoluto do termo.

As evidências da deidade de Cristo são muitas e irrefutáveis. Se as pode resumir brevemente: (1) A vida que viveu (Heb. 4: 15; 1 Ped. 2: 22), (2) as palavras que falou (João 7: 46; 14: 10; cf. Mat. 7: 29), (3) os milagres que realizou (João 5: 20; 14: 11), (4) as profecias que se cumpriram nele (Luc. 24: 26-27, 44; João 5:39;).

Resumindo, João estava falando da encarnação de Jesus Cristo. Estava mostrando que o Deus todo poderoso se tornou acessível a você e a mim. Aceite-O em seu coração!.

Twitter: @Valdeci_Junior

Pergunta Que Será Respondida Amanhã:
Que tipo de instrumentos eram o Adufe e o Saltério (cf. Sl 150) ?

2 comentários:

  1. se overbo erra deus porque as pessoas se alto destruiu nao deve niguem que oem caminhace averdade que ser filho e amar respeitar ao seu semelhante mesmo se nao avice e sim amando senpri lhe envinhando lovoris de bencao que esteja em paz com seus filhose adiquirir meios de comunicao e pergunto porque a estudo se ao saber ainda e pouco para com filhos areligiao emtao epoquezia pao so no papel verdade so no papel nao e mesmo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. primeiro vai aprender a ler e ESCREVER pra depois tentar elaborar uma pergunta.

      Excluir

Quer dizer o que pensa sobre o assunto?
Então, escreva aí. Fique à vontade.
Agora, se quiser fazer uma pergunta, escreva para nasaladopastor@hotmail.com