segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Melhor Tradução de 1João 5:7 e 8 - Duas Fontes

Quero entender melhor a passagem bíblica de 1João 5:7 e 8. Ouvi dizer que nas Bíblias em grego não existe o texto de 1 João 5:7 e 8, é verdade? Qual seria a tradução literal de tal texto?



Prezado amigo estudioso da palavra de Deus. Sempre que, em nossa Bíblia, em português, aparece um texto entre colchetes, isto quer dizer que aquele texto não aparece em vários manuscritos confiáveis. O que não significa que não estava no manuscrito original, porque: a)não existem mais manuscritos originais; b)apesar de não estar em uns manuscritos, está em outros, também confiáveis. As sociedades bíblicas fazem um estudo muito minucioso para saber se é coerente considerar um tal texto como bíblico.
Quando ao texto em questão, ele está presente nas atuais Bíblias que são editadas na língua grega. Abaixo, transcrevo um cópia exata do mesmo retirada do Interlinear Greek New Testament, fornecido pela Sociedade Bíblica do Brasil.

7  oti {BECAUSE} treiv {THREE} eisin {THERE ARE} oi {WHO} marturountev {BEAR WITNESS} en tw {IN} ouranw {HEAVEN,} o {THE} pathr {FATHER,} o {THE} logov {WORD,} kai {AND} to {THE} agion {HOLY} pneuma {GHOST;} kai {AND} outoi oi {THESE} treiv {THREE} en {ONE} eisin {ARE.}
8  kai {AND} treiv {THREE} eisin {THERE ARE} oi {WHO} marturountev {BEAR WITNESS} en th {ON} gh {EARTH,} to {THE} pneuma {SPIRIT,} kai {AND} to {THE} udwr {WATER,} kai {AND} to {THE} aima {BLOOD;} kai {AND} oi {THE} treiv {THREE} eiv {TO} to {THE} en {ONE [POINT]} eisin {ARE.}

E se você não lê em inglês, coloco a minha tradução, sem interpretação, logo abaixo:

7  oti {BECAUSE - Porque} treiv {THREE - três} eisin {THERE ARE - existem} oi {WHO – quem/que} marturountev {BEAR WITNESS – carregam testemunho – carregam testemunhas – testemunham – são testemunhas} en tw {IN – no, em} ouranw {HEAVEN, - Céu} o {THE – o, a, os, as} pathr {FATHER, pai} o {THE  – o, a, os, as } logov {WORD, palavra} kai {AND - e} to {THE  – o, a, os, as } agion {HOLY - santo} pneuma {GHOST; - espírito;} kai {AND - e} outoi oi {THESE - estes} treiv {THREE – três} en {ONE - um} eisin {ARE – são.}
8  kai {AND  - e} treiv {THREE – três} eisin {THERE ARE – há, existem} oi {WHO – que, quem} marturountev {BEAR WITNESS - – carregam testemunho – carregam testemunhas – testemunham – são testemunhas} en th {ON – na, no, sobre, por cima, em} gh {EARTH, - Terra} to {THE -  – o, a, os, as } pneuma {SPIRIT, - espírito} kai {AND - e} to {THE -  – o, a, os, as } udwr {WATER, água} kai {AND - e} to {THE  – o, a, os, as } aima {BLOOD; sangue;} kai {AND - e} oi {THE -  – o, a, os, as} treiv {THREE – três} eiv {TO – ao, para, pelo, por} to {THE  – o, a, os, as } en {ONE [POINT] – um (ponto, alvo, objetivo, propósito,)} eisin {ARE – são.}

 Note que para que uma tradução saia da literalidade e fique "entendível", é preciso não somente traduzir, mas também interpretar. E para fazer uma boa interpretação, é preciso conhecer muito bem as duas culturas, a fim de saber não somente o que significam as palavras, mas também o que o texto quer dizer. Quer um exemplo? Lá no interiozão do sul do Brasil, minhas cunhadas chamam a a minha esposa, que é bem mais nova do que elas, de "rapariga". Ufa, credo! Que palavrão, não? Não, para o gaúcho não. Mas para o resto do Brasil sim. Portanto, para interpretar bem a um texto, ao traduzi-lo, é preciso conhecer muito bem as duas cultuas. Logo, confie mais na tradução de João Ferreira de Almeida, do que nessa minha aí. Ele conhecia melhor as duas culturas.
Continue sendo um estudioso da palavra de Deus,

Twitter: @Valdeci_Junior

Pergunta Que Será Respondida Amanhã:
Sobre o relato “O Rico e Lázaro”, de Lucas 16:19-31, é evidente que é uma parábola, linguagem figurada. Mas, assim como não prova a imortalidade da alma, também não prova a mortalidade. Por que e para que então Jesus contou esta parábola? Para confundir a cabeça da gente?

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Pra dar Bom "Testemunho", Não Assume Identidade de Cristão

"Em alguns lugares, eu não assumo que sou cristão. Pois, já que eu não vivo 100% o cristianismo, é melhor que ninguém saiba que estou tentando ser cristão. Faço isto para proteger a igreja que pertenço".
O que você diria para quem fala estas palavras?

Hoje, a resposta está em áudio. Clique abaixo para ouvir. Esta resposta foi dada num programa Linha Aberta da Rádio Novo Tempo, em 2006. Mas vale a pena ouvir, pois o tema é atualíssimo.



video

Que Deus lhe abençoe ricamente,

Twitter: @Valdeci_Junior

Pergunta Que Será Respondida Amanhã:
Quero entender melhor a passagem bíblica de 1João 5:7 e 8. Ouvi dizer que nas Bíblias em grego não existe o texto de 1 João 5:7e8, é verdade? Qual seria a tradução literal de tal texto?

sábado, 26 de fevereiro de 2011

A Oferta de Caim




Por que o Senhor não Se agradou da oferta de Caim?

Para chegar ao entendimento explicado abaixo, é preciso ler todo o contexto da resolução de pecados proposta por Deus, nos capítulos 3 e 4 de Gênesis.

O sistema de oferecer sacrifícios havia sido introduzido por Deus quando o homem foi expulso do Éden, pois os versos que se seguem (ver Gen 3) evidenciam a idéia de que Caim sabia que estava fazendo mal ao apresentar o tipo de oferta que ofereceu a Deus. Havia sido ensinado a ele que o sangue do Filho de Deus faria expiação dos seus pecados. Ao seguir a regra instituída por Deus de sacrificar um cordeiro pelos seus pecados, Caim teria mostrado lealdade a Deus, pois Deus havia ordenado o sistema de sacrifícios. Caim teria mostrado fé no plano da redenção (Hebreus 11:4). O predomínio universal dos sacrifícios dos povos antigos indica que existia um preceito divino acima de qualquer invenção humana no que tanje à sua origem.

Você percebe o que fez com que a oferta de Caim não fosse aceita? Ele reconheceu parcialmente, forçadamente, os direitos de Deus sobre ele. Mas ele estava com um espírito de rebelião (que pode ser visto do verso 5 em diante), que o levou a responder às ordens de Deus segundo suas próprias escolhas, ao invés de seguir o plano estabelecido por Deus.

Ele obedeceu apenas aparentemente, mas a sua forma de proceder revelava um espírito desafiante. Caim se propôs em se auto-justificar por suas próprias obras e ganhar a salvação por seus próprios méritos pessoais. Recusando a se auto-reconhecer como um pecador que necessitava de um Salvador, ele ofereceu uma oferta que não expresava penitência pelo pecado: uma oferta incruenta. E sem derramamento de sangue não se faz remissão de pecados, pois o mesmo sangue é que fará a expliação da pessoa (Heb. 9: 22; Lev. 17: 11).

Caim reconhecia a existência de Deus (pois dialogou com Ele) e o Seu poder para dar ou para reter as bençãos na Terra. Sentindo que era vantajoso viver numa boa com a divindade, Caim considerou que seria conveniente apaziguar e iludir a ira divida mediante uma oferta, mesmo que fosse oferecida de má vontade. Ele deixou de compreender que o cumprimento parcial e formal dos requisitos explícitos de Deus não podia trazer o favor divino como substitudo da verdadeira obediência e do coração contrito.

Hoje em dia, procederemos bem se examinarmos o nosso coração para não sermos achados, como Caim, oferecendo a Deus ofertas sem valor e inaceitáveis. Deus quer que sejamos amigos dEle.

Um abraço,

Twitter: @Valdeci_Junior

Pergunta Que Será Respondida Amanhã:
"Em alguns lugares, eu não assumo que sou cristão. Pois, já que eu não vivo 100% o cristianismo, é melhor que ninguém saiba que estou tentando ser cristão. Faço isto para proteger a igreja que pertenço".
O que você diria para quem fala estas palavras?

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Masturbar Sem Pensar... Naquilo

A masturbação é pecado quando a praticamos com pensamentos ilícitos, mas quando a praticamos só para sentir aquela sensação, sem pensar em sexo, ela é mesmo assim pecado ?

(Veja o vídeo da "Masturbação Sem Pensar Naquilo" clicando aqui).

O maior e principal órgão sexual do corpo humano é o cérebro. As atividades sexuais são desejadas, programadas, e realizadas sob seu comando. Se o cérebro estiver realmente em repouso sexual, quando houver necessidade de liberação do organismo, nesse sentido, ele se encarregará de fazê-la à noite, por meio da polução noturna (o que nem sempre é necessário, e se não houver esta necessidade, o repouso é mais absoluto), caso contrário, ele precisará ser reeducado.

A questão da masturbação não ser uma prática liberada dentro da igreja não se dá somente pelo fato de, na maioria das vezes, envolver pensamentos ilícitos. A questão é que, através da masturbação, conseguimos e encontramos prazer por nós mesmos e podemos nos "acostumar" a nos "auto satisfazermos", sem dependermos positivamente e de forma saudável de uma outra pessoa. Deus criou homem e mulher também com o objetivo de um satisfazer as necessidades sexuais do outro, sendo, esta, uma das formas de demonstração do amor.

Claro que a sexualidade está restrita ao casamento e, por isso, só poderemos buscar o prazer sexual no outro quando estivermos casados. Por isso, toda a energia e o desejo sexual que possa vir antes de estarmos casados pode e deve ser canalizada para outras atividades que não o auto estímulo sexual (masturbação) ou o ato sexual em si.

Procure receber o afeto e reconhecimento que precisa, extravasar as suas energias, matar o seu senso de curiosidade, etc, dirigindo-se a boas fontes, escolhendo boas amizades, bons lugares para freqüentar, etc, selecionando e escolhendo as atividades com sabedoria. Por exemplo: se os hormônios estão à flor da pele, extravase as energias praticando um bom esporte.

Leia todo o Salmo 51 e separe dali os versículos que lhe forem necessários para serem a sua oração diária, como por exemplo, o verso 10, que diz: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável”.

Veja mais sobre isso clicando aqui.

Um abraço, e que Deus o abençoe,

Twitter: @Valdeci_Junior

Pergunta Que Será Respondida Amanhã:
Por que o Senhor não Se agradou da oferta de Caim?

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Os Jovens São Mais Tentados a Pecar?


Os jovens são mais facilmente induzidos ao pecado?

É claro que o mundo oferece muita coisa que atrai muito o jovem, dentre essas coisas, existem as banalidades, que, infelizmente, chegam a ser a maior parte. Mas o jovem deve procurar receber o afeto e reconhecimento que precisa, extravasar as suas energias, matar o seu senso de curiosidade, etc, dirigindo-se a boas fontes, escolhendo boas amizades, bons lugares para freqüentar, etc, selecionando e escolhendo as atividades com sabedoria. Por exemplo: se os hormônios estão à flor da pele, extravase as energias praticando um bom esporte.
Não podemos medir o grau de pecado que vai no coração de uma pessoa. Será que o jovem peca mais, ou demonstra mais? Você já notou que, quanto mais novo um ser humano é, mais sincero também ele é? E a sinceridade se externa. O coração de uma criança é muito mais sincero, é um terreno muito mais fértil para o evangelho, do que o coração de um jovem, e o do jovem, muito mais do que o do adulto. A criança não demonstra tanto pecado, por não ter tido ainda tantas oportunidades para interiorizá-los e externá-los. O jovem já teve, como o adulto. Só que o adulto sabe esconder melhor. Assim como Satanás tem uma tentação apropriada para cada pessoa, Deus também oferece as oportunidades de salvação, personalizadamente. 1 Coríntios 10:13  Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar.
Leia os dois livros que Paulo escreveu a Timóteo, e você vai ver como um jovem pode ser um grande ministro. Não se esqueça que João, José, Davi, Daniel e muitos outros, foram heróis da fé, ainda na adolescência, quando tudo ao redor conspirava contra os princípios morais.
“Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais dirás: Não tenho neles prazer (Eclesiastes 12:1).”

Um abraço,

Twitter: @Valdeci_Junior

Perguna Que Será Respondida Amanhã:
A masturbação é pecado quando a praticamos com pensamentos ilícitos, mais quando a praticamos só para sentir aquela sensação, sem pensar em sexo, ela é mesmo assim pecado ?

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Policial Cristão Que Mata Pra Se Defender



Com é visto perante a Lei de Deus um policial que mata uma pessoa para se defender?



            Perante a Lei de Deus, este policial é visto como um pecador. Matar, mesmo em defesa própria, é um pecado. Todavia, podemos estar certos de que Deus não considera como sendo da mesma categoria todos os tipos de pecados, mesmo que um pecado, por menor que seja, possa nos tirar do Céu se não nos arrependermos. O fato de cada pessoa ser julgada “segundo as suas obras” (ver Mateus 16:27 e Apocalipse 22:12) indica que para Deus alguns pecados são mais graves do que outros. (leia também Lucas 12:47 e 48). Com isto quero dizer que mesmo que continue sendo um pecado, o homicídio cometido por um policial em legítima defesa não possui a mesma gravidade de um homicídio cometido por uma pessoa que “mata por prazer”.
            Podemos ver na Bíblia uma diferença entre homicídio culposo e doloso. Números 35:9-34 é claro quanto a isto. A pessoa que matava alguém por maldade, era morta pelo vingador, que era um dos parentes mais próximos da vítima. Já aquele que matava alguém involuntariamente podia correr para uma cidade de refúgio, onde era protegido da vingança. Interessante é que em ambos os casos podemos perceber que o pecador sofria a conseqüência por seu pecado, mesma que a conseqüência não fosse tão grave (lembra-se do castigo “segundo as suas obras”?). Mesmo que homicida tivesse matado alguém sem que houvesse nele a intenção e tivesse sido livrado da pena de morte, tinha de morar por toda a vida na cidade de refúgio para não ser morto por um familiar daquele que fora morto.
            Portanto, o policial que matou um bandido para se defender pode contar com o perdão de Deus por meio da fé no sacrifício substitutivo de Jesus Cristo (assim como qualquer outro pecador): “se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”. 1ª João 1:9.

Twitter: @Valdeci_Junior

Pergunta Que Será Respondida Amanhã:
Os jovens são mais facilmente induzidos ao pecado?

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Em Apocalipse 22:11, Quem Fala é...


As palavras de Apocalipse 22:11 são proferidas pelo anjo ou por Jesus?

Sua pergunta é realmente interessante, porque a partir do verso nove vemos um diálogo entre João e um anjo. Ali no verso nove está claro que quem estava falando era o anjo do verso oito, e não Jesus, pois ele não aceitou adoração. As palavras do verso 10 também são do mesmo narrador, pois João coloca-as como uma continuação, ao afirmar, “disse-me ainda”. Mas a narrativa parece seguir sendo a mesma até se misturar com um discurso que não pode ser de outra pessoa senão Cristo, por dizer que vem sem demora (vs 12), que é o Alfa e o Omega (vs 13) e por se identificar pessoalmente (vs 16) como Jesus.
A problemática está no verso 11, por não ter uma identificação do narrador e por possuir palavras que, aparentemente, podem ser tanto de Jesus quanto do anjo. Algumas edições bíblicas as Sociedade Bíblica atribuem estas palavras ao anjo, por parecerem ser uma continuação muito direta das palavras do verso 10. Entretanto, parece mais plausível terem sido estas palavras ditas por Cristo, e não pelo anjo, pela seguintes razoes:
Contexto – Ao Jesus Cristo, nosso exaltado Sumo Sacerdote e Juiz, confluir o Seu ministério de intercessão, Ele pronuncia a sentença do julgamento e usando essas solenes palavras. Elas definem para sempre o destino de cada pessoa que viveu sobre a face da Terra. A Bíblia nos assegura que é Deus quem fará o que é certo em favor de cada um de nós (Gn 18:25). Estas palavras se aplicam especialmente ao tempo quando se decidirá o futuro de cada pessoa.  Esse decreto se pronunciará ao concluir o juicio investigador. Como todas estas ações fazem parte do ministério de Cristo, e não de um anjo, é muito mais lógico que ele proclame o referido.
Paralelismo – Os comentaristas bíblicos vêem uma aplicação mais ampla estas declarações quando as comparam com as palavras de Cristo na parábola do joio, em Mateus 13:30. Como Ele já dissera tal declaração uma vez, é obvio ser o autor do termo.
Lógica textual – O texto se monta melhor com o verso seguinte do que com o anterior.
Portanto é muito cabível dizer que “ao completar a purificação do santuário (iniciada em 1844), Jesus dirá: Continue o injusto fazendo injustiça, continue o imundo ainda sendo imundo; o justo continue na prática da justiça, e o santo continue a santificar-se”, porque por esta ocasião estará sendo fechada a porta da graça e o destino de todos estará para sempre selado.

Twitter: @Valdeci_Junior

Pergunta Que Será Respondida Amanhã:
Com é visto perante a Lei de Deus um policial que mata uma pessoa para se defender?

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Colocar Nomes de Deus e Jesus em Criança



É pecado (ou ilícito) nomear  crianças com nomes que são atribuídos a Jesus ou a Deus?




A Bíblia considera o significado dos nomes. Os nomes podem refletir caráter. Somos levados a preconceituar traços de caráter em desconhecidos, baseados em seu nome, influenciados por indivíduos anteriores que conhecemos com o mesmo nome. Nomes influenciam.

Não há declaração bíblica sobre ser pecado, mas há exemplos. Eu gosto de seguir exemplos bíblicos. Como exemplo, vemos que as pessoas usavam nomes alusivos, morfologicamente, a Deus, mas não o nome de Deus propriamente dito. Por exemplo: Daniel quer dizer, Deus é meu juiz; Joel quer dizer, Javé é Deus. Como você vê, estes nomes têm algo em comum: “el”, que em hebraico é Deus. Eloim é Deus, no plural. Agora, não conheço um personagem que tivesse um nome direto de Deus. Por exemplo Adonai, Elohim, Jeová, etc. O hebreu respeitava tanto o nome de Deus que nem o pronunciava.

Agora, o nome Jesus, que é o mesmo nome Josué, era muito comum entre o povo hebreu. Mas aí é um caso contrário. Não foi o homem que quis ter para si um nome divino, mas um Deus que tomou sobre si a forma humana. Entretanto, depois de Jesus o Cristo, não vemos mais exemplo bíblico de algum personagem que ousou ter este nome. Antes o tinham porque era um nome comum. Depois não o tiveram porque passou a ser um nome diferente: do próprio Deus.

Creio que devemos seguir os exemplos bíblicos quanto ao testemunho que damos através do uso que fazemos do nome de Deus.

Um abraço do seu amigo e irmão em Cristo,

Twitter: @Valdeci_Junior

Pergunta Que Será Respondida Amanhã:
As palavras de Apocalipse 22:11 são proferidas pelo anjo ou por Jesus?

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Significado de Isaías 19:19-20

Qual é o significado de Isaías 19:19-20?
Naquele dia, o SENHOR terá um altar no meio da terra do Egito, e uma coluna se erigirá ao SENHOR na sua fronteira. Servirá de sinal e de testemunho ao SENHOR dos Exércitos na terra do Egito; ao SENHOR clamarão por causa dos opressores, e ele lhes enviará um salvador e defensor que os há de livrar (Isaías 19:19 e 20)".

Sobre o “Altar” que é predito no verso dezenove, há duas tendências para interpretação. A primeira é sobre uns templos judaicos. Ocorre que mais tarde se levantaram dois templos hebreus no Egito, um em Elefantina, construído antes de 525 a. C. e destruído no ano 410, e o outro em Leontópolis, perto de Menfis, na região do delta, construído em resposta ao pedido de Onías a Ptolomeo Filométor e Cleópatra, em torno de 150 a. C..

Todavia, numa segunda interpretação, mais segura, vemos ser pouco provável que aqui se faça alusão a qualquer destes templos. A predição dos versos 18-25 é inteiramente condicional. Nunca chegou o tempo quando os egípcios juraram lealdade ao verdadeiro Deus e se converteram em podo do Senhor (vers. 25). Esta predição nunca se cumpriu, em parte porque os israelitas não foram fiéis ao sagrado cometido que se lhe havia confiado.

Se Israel tivesse sido fiel, gentes de todas as nações, inclusive do Egito, haveriam de ter se convertido a Jeová (Zac. 14: 16 -19). Os centros para a adoração do verdadeiro Deus teriam substituído os lugares de adoração aos deuses pagãos. O profeta previu um tempo quando o mundo se volveria a Jeová e lhe serviria. No entanto, como resultado do fracasso de Israel, esta profecia condicional não pode cumprir-se. Mas na terra renovada todas as nações dos redimidos adorarão a Jeová (Isa. 11: 9; 45: 22-23; Dan. 7: 27).

Um outro vocábulo importante a ser destacado neste texto é Príncipe. Do hebraico “rab”, literalmente, “grande”, donde vem a palavra Rabi, “meu grande”. No rodo 1QIsª dos Manuscritos do Mar Morto se lê yrd, forma verbal que poderia derivar-se do verbo radah, "governar", ou de yarad, "descer".

No primeiro caso, a última parte do verso 20 deveria ser lida como “governará e os libertará”, no segundo, “descerá e os libertará”.

Mas a segunda opção parece mais provável, pois permite uma aplicação secundária, à segunda vinda de Cristo.

Espero que, quando Ele voltar, você o esteja esperando realmente, como seu grande píncipe.

Um abraço do seu amigo e irmão em Cristo,

Twitter: @Valdeci_Junior

Pergunta Que Será Respondida Amanhã:
É pecado ou ilícito nomear a crianças com nomes que são atribuídos a Jesus ou a Deus?

sábado, 19 de fevereiro de 2011

O Uso da Palavra "São" é Idolatria?

Oi, meu nome é José Lima. É o seguinte. Através do estudo da Palavra de Deus, aprendemos que não podemos ter nenhum tipo de adoração, se esta não for dirigida diretamente ao nosso grandioso Deus, Criador dos Céus, da Terra, do mar e das fontes das águas. Por que, em algumas traduções da Bíblia, se teima em colocar como “santos”, os discípulos e apóstolos de Jesus, como por exemplo, S. Mateus, S. João, S.Paulo, etc.? Isto está correto?

Prezado senhor José Lima,
Precisamos aqui separar três coisas: "são", "santo" e "adoração". Elas podem até ter algo em comum umas com as outras, mas são três coisas diferentes.
A palavra "são" pode não significar exatamente "santo". Segundo os nossos dicionários, "são" significa: "Sadio, salubre, saudável, salutar; higiênico. Reto, íntegro, justo, moral, verdadeiro, ortodoxo. Curado, restabelecido. Proveitoso, vantajoso, útil, lucrativo; razoável, judicioso, prudente. Ileso, salvo, incólume. Puro, impoluto, perfeito".
Adoração, devemos dirigir somente a Deus; a mais nada, nem a anjos (Ap 19:10), nem a preceitos ou mandamentos, nem a objetos sagrados. Portanto, nem tudo o que é santo deve ser adorado.
Etimologicamente falando, a palavra santo, quer dizer, "separado", e no contexto bíblico, "separado para Deus". Um conceito mais amplo dá à palavra "santo" o significado de pureza, e neste sentido Deus também é santo. Mas no sentido mais amplo que a etimologia da palavra permite, muitas coisas podem ser consideradas "separadas para Deus", ou seja, "santas", como por exemplo os anjos, objetos sagrados de um templo, mandamentos e preceitos, palavra, ou mesmo um ser humano que se converte para os caminhos do Senhor. É nestes termos então que "santo" e "adorável" passam a ser duas coisas distintas, porque nem tudo o que é santo deve e pode ser adorado; pelo contrário, o santo pode ser o adorador.
É por isto que a Bíblia espera que todo crente seja um santo. No conceito bíblico, ser santo não é ser um deus, nem ser algo absoluta e plenamente perfeito e venerável. Não. Ser "santo", segundo a Bíblia é ser um seguidor de Jesus; ser alguém que é separado do mundo para Deus, mesmo sendo ainda um pecador. Deus quer que sejamos santos. Veja os conselhos bíblicos sobre este assunto:
“Por isso, cingindo o vosso entendimento, sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que vos está sendo trazida na revelação de Jesus Cristo. Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância; pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo (1Pedro 1:13-16 - cf. Levítico 20:7)”. “Também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo (1Pedro 2:5)”.
Por que então chamamos os autores bíblicos de santos, colocando o termo "são" para preceder os seus nomes? “Porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens santos falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo (2Pedro 1:21)”.“Deveis ser tais como os que vivem em santo procedimento e piedade (2Pedro 3:11)”.
No Novo Testamento, mais de setenta vezes os escritores bíblicos chamam os seres humanos que aceitam a Jesus de "santos" (Lucas 1:70; 9:26; Atos 3:21; Atos 9:13, 32, 41; 26:10; Romanos 1:7  Romanos 8:27; 12:13; 15:25-26, 31; 16:2, 15; 1Coríntios 1:2; 6:1-2; 7:14 ; 14:33; 16:1, 15; 2Coríntios 1:1; 8:4; 9:1; 9:12; 13:12-13; Efésios 1:1, 4, 15, 18; 2:19; 3:5, 8, 18; 4:12; 5:3; 6:18; Filipenses 1:1; 4:21-22; Colossenses 1:2, 4, 12, 22, 26; 3:12; 1Ts 3:13; 2Ts 1:10; 1Timóteo 5:10; Filemon 1:5, 7; Hebreus 3:1; 6:10; 13:24; 1Pedro 1:15-16; 2Pedro 1:21; 2Pedro 3:2; Judas 1:3; Apocalipse 5:8; 8:3-4; 11:18; 13:7, 10; 14:10, 12; 16:6; 17:6; 18:20, 24; 19:8; 20:9).
Concluindo, quanto à exclusividade, "adoração" sim, somente a Deus; ser "santo", não, eu e você também devemos ser santos, e os apóstolos foram santos. Se você é um seguidor de Jesus, e está a cada dia se separando para Deus, você é um santo, e, no sentido bíblico, poderia até ser chamado de São José Lima.


Um abraço,

Twitter: @Valdeci_Junior

Pergunta Que Será Respondida Amanhã:
Qual é o significado de Isaías 19:19 e 20?

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

"Nem teu Servo..." Trocas de Escalas do Sábado

Minha igreja tem me rejeitado, porque, no meu trabalho, ou eu troco a escala para não trabalhar no sábado, ou tenho que trabalhar, para salvar vidas. O que eu faço? Posso trabalhar no sábado e recompensar isso entregando o dinheiro do ganho referente na igreja? Como se aplica hoje o termo “nem o teu servo” do quarto mandamento? Será que estou correndo o risco de perder a minha salvação, ao trocar a escala?

O que vou dizer aqui vai precisar ser adaptado para a sua realidade, pois não conheço todo o contexto em que você está inserido. Mas me parece que o maior problema que você tem não é o emprego, mas o cheiro farisaico de legalismo da realidade local de sua igreja (não me refiro ao que a igreja ensina, mas ao que ela vive). Desculpe-me, mas esse é um problema que não tenho como fazer outra coisa a não ser orar por ele. E lhe aconselho que também ore por isso, e não tente fazer justiça com as próprias mãos. Lembre-se que "bem-aventurados sois vós, quando vos perseguirem...".
Apesar de que você pareça ter ouvido sobre entregar o dinheiro do trabalho no sábado como dízimo, em um programa da TV, se foi dito isso ou não, isso é errado. Não tem nada a ver, por várias razões. 1)Dízimo é 10%, e se você der esse dinheiro como dízimo não corresponderá a esta porcentagem, em relação à sua renda; 2)Dízimo é adoração, e o ato de ir trabalhar e não ir para a igreja não é adoração; 3)Somos salvos pela graça, e não por obras, por isso, não existe barganha - se existisse, então todos poderiam trabalhar, em qualquer trabalho, no sábado, e dar o dinheiro na igreja. Mas salvação não acontece por procuração. Ou "pode", ou "não pode", se existisse um "não pode" que pudesse ser substituído por dinheiro, isso seria indulgência. Deus nos livre disso.
Também não é errado você colocar um colega de trabalho no seu lugar no sábado, desde que você não deixe de testemunhar sobre o sábado pra ele. Essa troca de escala não se aplica ao "nem teu servo" do mandamento. O contexto em que vivemos é outro. Esse "nem teu servo" do mandamento, era num contexto em que o servo era obrigado a fazer o que o patrão quisesse, tanto nos assuntos trabalhistas quanto religiosos, e ponto final. Hoje em dia não: somos livres. Se o seu colega quiser guardar o sábado, você não vai obrigá-lo a cumprir sua escala. Ele não é seu escravo. Mas uma vez que ele não quer saber de guardar o sábado, não vai fazer diferença onde ele vai trabalhar. De qualquer forma, nesta sociedade secularizada, totalmente diferente da sociedade teocrática israelita do mundo antigo, sempre haverá clientes exigindo serem servidos no sábado e servidores querendo servir no sábado. Portanto, deixe que os não-guardadores do sábado se entendam.
É difícil eu analisar contigo, todos os detalhes do seu caso, e definir exatamente o que você deve fazer. Você precisa analisar os princípios com oração, e aplicá-los à realidade que você vive e conhece.
Lembre-se que ninguém será salvo por guardar o sábado, e que não é a placa de uma igreja, ou estar dentro de um templo que nos servirá de conduto para o Céu. Somos salvos pela graça, mediante a fé. Isso não vem de nós. É um presente de Deus. Portanto, não se esqueça de que você é um filho de Jesus, muito amado por ele. E tenha certeza de que Deus está contigo, pois você está procurando dar o seu melhor pra Ele.
Um abraço,

Twitter: @Valdeci_Junior


Pergunta Que Será Respondida Amanhã:
Através do estudo da Palavra de Deus, aprendemos que não podemos ter nenhum tipo de adoração, se esta não for dirigida diretamente ao nosso grandioso Deus, Criador dos Céus, da Terra, do mar e das fontes das águas. Por que, em algumas traduções da Bíblia, se teima em colocar como “santos”, os discípulos e apóstolos de Jesus, como por exemplo, S. Mateus, S. João, S.Paulo, etc.? Isto está correto?

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Jesus Ama a Todos?

As igrejas cristãs dizem que Cristo ama a todos.
Mas, por que o próprio Cristo diz que ama apenas os que obedecem a Sua palavra (cf. João 14:21)?



“Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me manifestarei a ele.” (João 14:21 RA)

Vejo que você se preocupa em amar a Jesus e receber do Seu amor. Isto é muito bom! Aliás, essencial. Você também está preocupado se Cristo ama os que não guardam os mandamentos de Deus?

Primeiro vamos praticar interpretação de texto. Ao redigir sua pergunta, você atribuiu ao texto algo que nele não existe: “apenas”. Não existe a palavra “apenas” no texto. O fato de eu dizer que amo minha esposa (e ponto final), não implica que não amo meus filhos.


O foco do texto não é dizer quem Cristo ama ou quem Ele não ama. O sinal é sobre quem ama a Ele. Como ele mesmo diz se me amais guardareis os meus mandamentos (João 14:15). Para saber se os seus seguidores o amam há um critério, pois pode existir ser humano que não o ame. Nós o amamos porque Ele nos amou primeiro (1João 4:19). Mas para medir o amor dele para conosco não há critério porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.


“Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados.” (1 João 4:10 RA)

Pr. Valdeci Júnior
Twitter: @Valdeci_Junior

Pergunta Que Será Respondida Amanhã:
Minha igreja tem me rejeitado, porque, no meu trabalho, ou eu troco a escala para não trabalhar no sábado, ou tenho que trabalhar, para salvar vidas. O que eu faço? Posso trabalhar no sábado e recompensar isso entregando o dinheiro do ganho referente na igreja? Como se aplica hoje o termo “nem o teu servo” do quarto mandamento? Será que estou correndo o risco de perder a minha salvação, ao trocar a escala?

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Origem de Satanás



Qual é a origem de Satanás?


De acordo com o pastor Alberto R. Timm (PhD), três passagens das Escrituras são fundamentais para a compreensão de como Lúcifer, um ser criado por Deus, perfeito, tornou-se Satanás, a fonte e o principal instigador de todo o mal. Em Ezequiel 28 é dito que Lúcifer era “perfeito” e exercia a função de “querubim da guarda” antes da sua rebelião: “Tu eras querubim da guarda ungido, e te estabeleci; permanecias no monte santo de Deus, no brilho das pedras andavas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado até que se achou iniqüidade em ti” (Ezequiel 28:14 e 15).
Isaías 14 esclarece que foi através do orgulho que surgiu o mal no coração de Lúcifer: “Como caíste do Céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Como foste lançado por Terra, tu que debilitavas as nações! Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao Céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do Norte; subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo” (Isaías 14:12-14).
Apocalipse 12 declara que “a terça parte” das hostes angélicas se uniu a Lúcifer em sua rebelião contra Deus (versos 3 e 4) e acabou sendo expulsa do Céu: “Houve peleja no Céu. Miguel e o Seus anjos pelejaram contra o dragão. Também pelejaram o dragão e seus anjos; todavia, não prevaleceram; nem mais se achou no Céu o lugar deles. E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo, sim, foi atirado para a Terra, e, com ele, os Seus anjos” (Apocalipse 12:7-9).
O surgimento do pecado no coração de Lúcifer é, em realidade, um mistério que não pode ser explicado a contento, pois ele teve início e continua existindo sem qualquer motivo que o justifique.
Não sendo originado em Deus, mas em Lúcifer, o pecado é um intruso que continua existindo no mundo (ver Efésios 6:12; 1 Pedro 5:8), a despeito de não possuir o direito legítimo de existência. Mas a promessa divina é que chegará finalmente o dia em que tanto o pecado, em todas as suas formas, quanto o seu autor (Satanás) serão, definitivamente, erradicados do Universo (ver 2 Pedro 3:7, 10-13; Apocalipse 20:10), não permanecendo deles “nem raiz nem ramo” (Malaquias 4:1).
Num nível em que não é preciso nos aprofundarmos tanto, mas que, ao mesmo tempo, nos dê uma luz sobre esta pergunta que indaga sobre a origem de Satanás, creio que esta resposta do pr. Tim vem a ser satisfatória. Se você quiser aprofundar-se mais no assunto, faça o curso bíblico indicado aqui na Sala. Ele lhe trará um estudo sistemático mais detalhado do tema.
Um abraço, e que Deus lhe abençoe ricamente,
Twitter: @Valdeci_Junior

Pergunta Que Será Respondida Amanhã:
As igrejas cristãs dizem que Cristo ama a todos. Mas, por que o próprio Cristo diz que ama apenas os que obedecem a Sua palavra (cf. João 14:21)?


terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Traído Pela Namorada, ou Traído por si Mesmo?

...minha namorada me traiu... Doeu muito... Eu a perdoei, mas a dor continua... Não porque continuo culpando-a, mas a cada vez que sinto o medo de que ela venha reincidir-se no erro culpo-me a mim mesmo, e é isto o que me machuca... O que eu faço?
 

 Muito obrigado por sua confiança. Li sua mensagem com muito carinho. Quero dizer-lhe que, apesar de estar respondendo-lhe aqui publicamente, suas informações pessoais que lhe identificariam são e serão mantidas sob sigilo, pra que você possa se sentir à vontade em corresponder-se e buscar conselhos.

            Não posso dar-lhe uma palavra final em relação ao que você me escreveu, pois certamente o contexto em que você e sua namorada vivem traz um complexo muito maior de fatores que influenciam os acontecimentos e os sentimentos. Entretanto quero dar-lhe algumas diretrizes.
            Amigo, baseado no que você me escreveu, e somente no que você me escreveu, percebo que tanto você quanto sua namorada podem estar certos e errados em alguns aspectos destes ocorridos que você relatou.
            Realmente a traição machuca muito e é inadmissível. Entretanto algumas coisas, que levam um parceiro a trair o outro devem ser consideradas. No seu caso, é mais fácil considerar-se a si mesmo do que julgar sua companheira. Seu comportamento, atenção, postura, carinho, romantismo, segurança transmitida, etc, têm sido eficazes o suficiente para que sua namorada não sinta necessidade externa alguma? Se não, o que você pode fazer? Se você sabe o que fazer, o que falta-lhe é pôr em prática. Se você não sabe o que fazer, precisa buscar informação, através de observação, conselhos e leituras, para saber quais são as necessidades de uma mulher (e em particular da sua namorada) a fim de que você seja suficiente para ela. Não estou dizendo que você não está sendo homem o suficiente. Estou dizendo que a vida é um aprendizado, e isto também é válido para a área do relacionamento.
Considerando o lado dela, o que deve ter levado-a a trair-lhe? Foi um relapso? Suas companhias têm influenciado-a? Se sim, ela não deve revê-las? Ou será que ela não têm exemplos muito fortes, deste perfil de comportamento, os quais, inconscientemente ela os segue, como pais, irmãos mais velhos, tios, etc que também traem ou já traíram? Se sim, ela deve tomar consciência disto para aprender a trabalhar consigo mesma. Ou será que ela mesma já não tem um histórico assim – é a primeira vez que ela trai um namorado? Se não, o caráter deve ser avaliado.
O que considerei nestes dois últimos parágrafos foi com a finalidade de levar-lhe a pensar que não basta dizer: “não vou trair” e pronto. Somos seres inteligentes e devemos trabalhar conosco mesmos. Entende? Temos que fazer a nossa parte.
Pode ser verdade o fato de que sua namorada o ama de verdade e unicamente e, ainda assim, o traiu? Por que? Porque embora tenha um amor verdadeiro e único não tem um amor plenamente perfeito. E por que não tem um amor plenamente perfeito? Porque é um ser humano. Cada ser humano tem suas falhas, quedas e imperfeições. Concorda? Logo, pode ser que ela esteja sendo plenamente sincera em dizer que não quer trair-lhe mais, e ainda assim, voltar a cair. E então, você pergunta, você seria obrigado a conviver com isto? Não. É pra isto que existe o namoro. Pra que você conheça a outra pessoa moral, mental e emocionalmente. Então o conselho que eu lhe daria é que você prolongasse um pouco mais o namoro, para que as coisas tivessem tempo de ser analisadas. Não precipite.
Parabéns por perdoar. Mas não se culpe por ter medo de que aconteça de novo. Só o tempo vai retomar as rédeas da confiança. O único que tem capacidade de perdoar e esquecer é Deus. Mas também não precisa ficar remoendo a ferida. Quem perdoa procura esquecer.
Leia, do livro O Lar Adventista, o capitulo “A Escolha do Companheiro de Vida”. Ore muito. Consagre-se a Deus.
            Diariamente
a) Separe um tempo especial, num lugar específico para orar. Não sei se será no banheiro, às três da manhã, ou se será num jardim, ao pôr-do-sol. Mas tenha um encontro marcado com Jesus, diariamente, para falar com Ele. Falar o que? O que lhe estiver na cabeça. Se você  estiver triste, com raiva, com sentimentos de dúvida, de incapacidade... enfim, diga pra Ele, converse com Ele. Orar é abrir o coração a Deus, como a um amigo! Nesta conversa, ore por outros, ore por mim. Gaste muito tempo com Deus!
b) Separe um tempo e um lugar específicos para fazer uma leitura da Bíblia. Pode ser um versículo ou um livro – que seja uma quantidade que lhe “alimente”. Gaste tempo ouvindo Deus lhe falar, através de Sua palavra. Você pode começar pelo livro de Tiago, ler o livro de Lucas, depois o de João, volte até Mateus e leia os quatro evangelhos, daí leia todo o NT e então volte a Gênesis e leia toda a Bíblia.
c) Escolha uma canção, que fale de Deus e que fale ao seu coração, por dia, e fique cantarolando-a, por todo o dia. Tenha sempre um cântico no coração.
d) De alguma forma, não deixe o sol se pôr, sem falar de Deus para alguém. Arrume alguma forma para, diariamente, ajudar outra pessoa a ver a bondade de Deus.
Se você perceber que, mesmo assim, não lhe estará sendo possível sair desta dor emocional sozinho (e com Deus), procure ajuda profissional. Não é falta de fé procurar um psicólogo. Deus deixou os recursos, talentos e conhecimentos para que os usemos. Um psicólogo cristão talvez poderia ser o instrumento de Deus, também, pra lhe ajudar a sair dessa.
De qualquer forma, o que mais quero é que você seja feliz, para continuar fazendo as outras pessoas felizes, e para continuar honrando o nome de Deus.

Estarei orando por você!

Que o Senhor te abençoe e te guarde!


Twitter: @Valdeci_Junior

Pergunta Que Será Respondida Amanhã:
Qual é a origem de Satanás?

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Apelo Urgente Por Reavivamento, Reforma, Discipulado e Evangelismo

  Pastor, já descobri: você é adventista do sétimo dia - rsrs. Então me diga: atualmente, qual é o principal foco da sua denominação cristã?

Boa! A igreja adventista do sétimo dia está presente em 206 países, atualmente. Para representar os mais de 17 milhões de membros, de cinco em cinco anos acontece uma reunião mundial a qual chamamos de Conferência Geral. A última aconteceu no ano passado, onde foi nomeado o presidente mundial da igreja para os próximos cinco anos, o pastor Ted Wilson.

Já sob sua liderança, a partir desta conferência, foi proposto um documento que está sendo aceito e votado em todo o mundo. Este documento pode muito bem representar qual é o nosso atual foco.

Abaixo, num ato de CTRL+V, coloco-o na íntegra. Boa leitura.

Apelo Urgente Por Reavivamento, Reforma, Discipulado e Evangelismo

Deus chamou, de forma singular, a Igreja Adventista do Sétimo Dia para viver e proclamar Sua mensagem de amor e verdade para os últimos dias do mundo (Apocalipse 14:6-12). O desafio de alcançar os mais de seis bilhões de pessoas no planeta Terra com Sua mensagem para o tempo do fim parece impossível. A tarefa é esmagadora. De uma perspectiva humana, o rápido cumprimento da Grande Comissão de Cristo, em algum momento próximo, parece improvável (Mateus 28:19, 20).

        A taxa de crescimento da Igreja simplesmente não está acompanhando o crescimento da população mundial. Uma avaliação honesta de nosso impacto evangelístico atual no mundo leva à conclusão de que, a não ser que haja uma mudança dramática, não concluiremos a comissão celestial nesta geração. A despeito de nossos melhores esforços, todos os nossos planos, estratégias e recursos são incapazes de concluir a missão dada por Deus para Sua glória na Terra.

PROMESSA DE CRISTO À SUA IGREJA DO NOVO TESTAMENTO

        O desafio de levar o evangelho ao mundo não é novo. Os discípulos enfrentaram esse desafio no primeiro século, e nos o enfrentamos no século 21. A igreja do Novo Testamento foi, aparentemente, confrontada com uma tarefa impossível. Porém, dotada do poder do Espírito Santo, a Igreja teve um crescimento explosivo (Atos 2:41; 4:4; 6:7; 9:31). Os primeiros cristãos compartilharam sua fé em todas as partes (Atos 5:42).

        A graça de Deus transbordou do coração deles para sua família, amigos e colegas de trabalho. Apenas poucas décadas depois da crucifixão, o apóstolo Paulo relatou que o evangelho “foi pregado a toda criatura debaixo do céu” (Colossenses 1:23). Como foi possível a um desconhecido grupo de crentes relativamente insignificante exercer impacto no mundo em um período tão curto de tempo? Como tão poucos cristãos puderam ser usados por Deus para transformar o mundo para sempre?

        A Grande Comissão de Cristo foi acompanhada de Sua grande promessa. O Salvador “determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai” (Atos 1:4). E também prometeu: “mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da Terra” (Atos 1:8).

        O amor de Cristo controlava cada aspecto da vida dos discípulos e os levava a um compromisso fervoroso com Seu serviço. Eles rogaram a Deus o poder prometido do Espírito Santo e prostraram-se diante dEle em sincera confissão e fervoroso arrependimento. Davam prioridade à busca das bênçãos de Deus e dedicavam tempo para a oração e para o estudo das Escrituras. Suas mesquinhas diferenças foram absorvidas por seu desejo todo abrangente de compartilhar o amor de Cristo com todos a seu redor e de alcançar o mundo com o evangelho. Nada era mais importante. Eles reconheceram que eram incapazes de cumprir a missão sem o poderoso derramamento do Espírito Santo.

        Descrevendo a experiência dos discípulos, Ellen G. White escreveu: “Pondo de parte todas as divergências, todo o desejo de supremacia, uniram-se em íntima comunhão cristã. ... A tristeza lhes inundava o coração ao se lembrarem de quantas vezes O haviam mortificado por terem sido tardos de compreensão, falhos em entender as lições que, para seu bem, estivera buscando ensinar-lhes. ... Os discípulos sentiram sua necessidade espiritual, e suplicaram do Senhor a santa unção que os devia capacitar para o trabalho de salvar almas. Não suplicaram essas bênçãos apenas para si. Sentiam a responsabilidade que lhes cabia nessa obra de salvação de almas. Compreendiam que o evangelho devia ser proclamado ao mundo, e reclamavam o poder que Cristo prometera” (Atos dos Apóstolos, p. 37).



        Cristo cumpriu Sua palavra. O Espírito Santo foi derramado no poder pentecostal. Milhares se converteram em um dia. A mensagem do amor de Cristo exerceu impacto no mundo. Em um curto período de tempo, o nome de Jesus Cristo estava nos lábios de homens e mulheres em todas as partes. “Mediante a cooperação do Espírito divino, os apóstolos fizeram uma obra que abalou o mundo. O evangelho foi levado a todas as nações numa única geração” (Atos dos Apóstolos, p. 593).

A PROMESSA DE CRISTO PARA A IGREJA DO TEMPO DO FIM

        O derramamento do Espírito Santo no Pentecostes, na chuva temporã, foi apenas um prelúdio do que está para acontecer. Deus prometeu derramar Seu Espírito Santo em abundância nos últimos dias (Joel 2:23; Zacarias 10:1). A Terra será iluminada “com Sua glória” (Apocalipse 18:1) e a obra de Deus neste mundo será rapidamente concluída (Mateus 24:14; Romanos 9:28). A Igreja experimentará um reavivamento espiritual e a plenitude do poder do Espírito Santo como nunca ocorreu antes em sua história. Falando do derramamento do Espírito Santo no Pentecostes, Pedro nos dá esta certeza: “Pois para vós outros é a promessa, para vossos filhos e para todos os que ainda estão longe, isto é, para quantos o Senhor, nosso Deus, chamar” (Atos 2:39). Ellen White acrescenta: “Antes de os juízos finais de Deus caírem sobre a Terra, haverá, entre o povo do Senhor, tal avivamento da primitiva piedade como não fora testemunhado desde os tempos apostólicos. O Espírito e o poder de Deus serão derramados sobre Seus filhos. Naquele tempo, muitos se separarão das igrejas em que o amor deste mundo suplantou o amor a Deus e à Sua Palavra. Muitos, tanto pastores como leigos, aceitarão alegremente as grandes verdades que Deus providenciou fossem proclamadas no tempo presente, a fim de preparar um povo para a segunda vinda do Senhor” (O Grande Conflito, p. 464).



        Centenas de milhares de pessoas aceitarão a mensagem dos últimos dias, dada por Deus, mediante o ensino e a pregação de Sua Palavra. Oração, estudo da Bíblia e testemunho são os elementos de todo verdadeiro reavivamento. A manifestação do Espírito Santo se intensificará à medida que o fim se aproxima. “Ao avizinhar-se o fim da ceifa da Terra, uma especial concessão de graça espiritual é prometida a fim de preparar a igreja para a vinda do Filho do homem” (Atos dos Apóstolos, p. 55) e “Por milhares de vozes em toda a extensão da Terra, será dada a advertência. Operar-se-ão prodígios, os doentes serão curados, e sinais e maravilhas seguirão aos crentes” (O Grande Conflito, p. 612).

        Não há nada mais importante do que conhecer Jesus, estudar Sua Palavra, compreender Sua verdade e buscar Sua promessa do derramamento do poder do Espírito Santo na chuva serôdia para o cumprimento da comissão evangélica. A profetisa de Deus para o remanescente nos últimos dias escreveu de forma muito clara para ser mal compreendida que “Um reavivamento da verdadeira piedade entre nós, eis a maior e a mais urgente de todas as nossas necessidades. Buscá-lo, deve ser nossa primeira ocupação” (Mensagens Escolhidas, vol. 1, p. 121).

        Se um verdadeiro reavivamento espiritual é a maior e a mais urgente de nossas necessidades, não deveríamos, como líderes, dar prioridade à busca da bênção prometida pelo Céu, com todo o nosso coração?

NOSSA GRANDE NECESSIDADE: REAVIVAMENTO E REFORMA

        Quando buscamos Jesus, Ele nos preenche com Sua presença e poder mediante a dádiva do Espírito Santo. Anelamos por conhecê-Lo melhor e o Espírito Santo reaviva as faculdades espirituais adormecidas da alma. Não há nada que desejemos mais do que ter um relacionamento profundo e transformador com Jesus. O coração reavivado experimenta uma conexão vital com Jesus mediante a oração e a Palavra, e a reforma é a mudança correspondente que ocorre em nossa vida como resultado do reavivamento.

        “Precisa haver um reavivamento e uma reforma, sob a ministração do Espírito Santo. Reavivamento e reforma são duas coisas diversas. Reavivamento significa renovação da vida espiritual, um avivamento das faculdades da mente e do coração, uma ressurreição da morte espiritual. Reforma significa uma reorganização, uma mudança nas ideias e teorias, hábitos e práticas. A reforma não trará o bom fruto da justiça a menos que seja ligada com o reavivamento do Espírito. Reavivamento e reforma devem efetuar a obra que lhes é designada, e no realizá-la, precisam fundir-se. Review and Herald, 25 de fevereiro de 1902” (Mensagens Escolhidas, v. 1, p. 128). A reforma não é manifestada com uma atitude de justiça própria que condena outros. É a transformação do caráter que revela os frutos do Espírito na vida (Gálatas 5:22-24). A obediência à vontade de Deus é evidência de todo verdadeiro reavivamento. Nosso Senhor anela por um povo reavivado, cuja vida reflita a amabilidade de Seu caráter. Não há nada que Jesus anseie mais do que um povo desejoso de conhecer pessoalmente Seu amor e compartilhá-lo com os outros.

COMPROMISSO E APELO

        Como líderes e representantes da Igreja Adventista do Sétimo Dia na Divisão Sul-Americana, agradecemos a nosso grande e maravilhoso Deus por Sua fidelidade e bênçãos abundantes à Sua Igreja, desde seu início. A rápida expansão mundial de Sua Igreja, em membros e em instituições, é simplesmente um milagre de Deus. Embora O louvemos pela obra maravilhosa de cumprir Seu propósito por meio de Sua igreja, e Lhe agradeçamos pelos líderes piedosos que guiaram Seu povo no passado, reconhecemos humildemente que, devido às nossas fragilidades humanas, até mesmo nossos melhores esforços são maculados pelo pecado e necessitam de purificação por meio da graça de Cristo. Reconhecemos que nem sempre temos dado prioridade ao dever de buscar a Deus pela oração e em Sua Palavra pelo derramamento do poder do Espírito Santo na chuva serôdia. Humildemente confessamos que, em nossa vida pessoal, em nossas práticas administrativas e nas reuniões das comissões, com frequência, temos agido com nossas próprias forças. Muitas vezes, a missão de Deus de salvar o mundo perdido não tem ocupado o primeiro lugar em nosso coração. Às vezes, em nossa intensa busca por fazer boas coisas, temos negligenciado o mais importante: conhecê-Lo. Com frequência, ambições mesquinhas, inveja e relacionamentos pessoais fragilizados têm subjugado nosso anelo pelo reavivamento e pela reforma e nos levado a trabalhar em nossa força humana, em vez de na de Seu divino poder.

        Aceitamos a clara instrução de nosso Senhor de que “O tempo decorrido não operou nenhuma mudança na promessa dada por Cristo ao partir, promessa esta de enviar o Espírito Santo como Seu representante. Não é por qualquer restrição da parte de Deus que as riquezas de Sua graça não fluem para a Terra em favor dos homens. Se o cumprimento da promessa não é visto como poderia ser, é porque a promessa não é apreciada como devia ser. Se todos estivessem dispostos, todos seriam cheios do Espírito” (Atos dos Apóstolos, p. 50).

        Confiamos no fato de que todo o Céu espera derramar o Espírito Santo, com poder infinito, para a conclusão da obra de Deus na Terra. Reconhecemos que a vinda de Jesus tem sido atrasada e que o anelo de nosso Senhor era ter vindo décadas atrás. Arrependemo-nos de nossa indiferença, de nosso mundanismo e de nossa falta de paixão por Cristo e Sua missão. Sentimos que Cristo nos chama a um relacionamento profundo com Ele, mediante oração e estudo da Bíblia, e a um mais ardente compromisso de transmitir Sua mensagem para os últimos dias ao mundo. Regozijamo-nos de que “é privilégio de todo cristão não somente aguardar, mas apressar a vinda do Salvador” (Atos dos Apóstolos, p. 600).

        Assim sendo, como representantes da Igreja Sul-Americana e em nome de todos os membros, comprometemo-nos a:

1.    Pessoalmente dar prioridade ao dever de buscar a Deus para um reavivamento espiritual e o derramamento do Espírito Santo, no poder da chuva serôdia, em nossa vida, família e ministério.
2.    Individualmente dedicar tempo significativo, a cada dia, para manter comunhão com Cristo mediante a oração e o estudo da Palavra de Deus.
3.    Examinar nosso coração e pedir ao Espírito Santo para nos convencer de tudo que nos esteja impedindo de revelar o caráter de Jesus. Desejamos ter um coração disposto a fim de que nada em nossa vida impeça a plenitude do poder do Espírito Santo.
4.    Incentivar os ministros da Igreja a dedicar tempo à oração, ao estudo da Palavra de Deus e a buscar o coração de Deus, a fim de compreenderem Seus planos para Sua Igreja.
5.    Incentivar cada uma das organizações da Igreja a separar tempo para que os administradores, pastores, obreiros da saúde, das publicações, educadores, estudantes e todos os colaboradores busquem a Jesus e o prometido derramamento do Espírito Santo mediante o estudo da Palavra de Deus e da oração.
6.    Priorizar o Seminário de Enriquecimento Espiritual e a Jornada Espiritual como meios de envolver os membros, servidores da Igreja e instituições em um forte movimento de comunhão e reavivamento, buscando a Deus na primeira hora de cada dia. 
7.    Usar cada mídia disponível, bem como diferentes reuniões, seminários e programas  para apelar aos membros da Igreja a buscar um relacionamento profundo com Jesus, com vistas ao reavivamento e à reforma prometidos.
8.    Urgentemente apelar e convidar todos os membros da Igreja a se unir a nós no abrir o coração ao poder transformador da vida, que é o Espírito Santo, o qual transformará nossa vida, nossa família, nossas organizações e nossas comunidades.

        Especialmente, reconhecemos que Deus usará as crianças e os jovens neste último e poderoso reavivamento e encorajará todos os nossos jovens a participar na busca de Deus para o reavivamento espiritual em sua vida e a capacitação do Espírito Santo para compartilhar sua fé com outros.

        Apelamos a cada membro de igreja a se unir aos líderes da Igreja e a milhões de outros adventistas do sétimo dia, buscando um relacionamento mais profundo com Jesus e o derramamento do Espírito Santo na primeira hora de cada dia, e também participando da corrente mundial de oração às sete horas de cada manhã ou tarde, sete dias na semana. Esse é um apelo urgente que deve alcançar todo o nosso território e circundar o globo com sincera intercessão. Esse é o chamado para um compromisso total com Jesus e para experimentar o poder transformador de vidas do Espírito Santo, e que nosso Senhor anela nos dar agora.

        Cremos que o propósito do derramamento do Espírito Santo no poder da chuva serôdia é concluir a missão de Cristo na Terra, a fim de que Ele possa vir em breve. Reconhecendo que nosso Senhor somente derramará Seu Espírito, em Sua plenitude, sobre uma igreja que tiver paixão pelas pessoas perdidas, determinamos apresentar e manter o reavivamento, a reforma, o discipulado e o evangelismo no topo de todas as nossas agendas de atividades da Igreja. Mais do que tudo o mais, anelamos pela vinda de Jesus.

        Apelamos a cada administrador, líder de departamento, obreiro institucional, obreiro da saúde, colportor, capelão, pastor e membro da Igreja a se unir a nós em tornar o reavivamento, a reforma, o discipulado e o evangelismo as prioridades mais urgentes e importantes de nossa vida pessoal e em nossas áreas no ministério. Estamos certos de que, ao buscarmos a Deus juntos, Ele derramará Seu Espírito Santo sem medida, a obra de Deus na Terra será concluída e Jesus virá. Juntamente com o idoso apóstolo João, na Ilha de Patmos, clamamos: “Vem, Senhor Jesus!” (Apocalipse 22:20).

* O documento original foi votado no Concílio Anual da Associação Geral em 11/10/2010.


Espero ter respondido satisfatóriamente à sua pergunta. Você está convidado e intimado, em nome de Jesus, a juntar-se à nós. E, como uma grande família de Deus, fazermos tudo o que pudermos para que Jesus volte logo, e este mundo de sofrimento termine.

Um abraço do seu amigo e irmão em Cristo,

Twitter: @Valdeci_Junior

Pergunta Que Será Respondida Amanhã:
...minha namorada me traiu... Doeu muito... Eu a perdoei, mas a dor continua... Não porque continuo culpando-a, mas a cada vez que sinto o medo de que ela venha reincidir-se no erro culpo-me a mim mesmo, e é isto o que me machuca... O que eu faço?