domingo, 5 de fevereiro de 2012

LEPRA! NÃO! - Levítico 13-14

A palavra “lepra”, no original hebraico, é “tsaráat”. Ela significa mais coisas do que apenas uma doença física. Se você observar em Levítico 13: 2-28, verá a Bíblia lidando com o diagnóstico de, pelo menos, 21 aflições da pele, que são expressas por um termo que inclui tudo, o termo lepra.
Se falasse de uma doença caracterizada pela brancura, conforme Êxodo 4:6, caracterizada por inchações, tumores ou manchas que desfigurassem a pele, provavelmente, seria lepra. Então, é claro que a descrição desses dois capítulos, provavelmente, incluía outras doenças da pele, além da lepra ou da hanseníase, conhecida hoje.
Por exemplo, se você observar em Levítico 13:47-59; 14:33-57, verá que até um tipo de mofo seria chamado de lepra. Então era assim: a palavra lepra denotava uma variedade de doenças da pele, incluindo psoríase, favo, leucodermia e, também e principalmente, a terrível hanseníase. Terrível hoje, mas muito pior naquela época.
Abra sua Bíblia em Levítico 13-14 você verá as instruções bíblicas sobre como os israelitas deviam tratar-se ou como deviam tratar alguém quando tivesse lepra.
Hoje, podemos ver em muitos cartazes em instituições de saúde, dizeres do tipo: “Hanseníase tem cura”. Graças a Deus! Mas você já pensou, no tempo que a medicina não sabia lidar com essa moléstia, que praga que não era? Se a pessoa pegasse lepra, além de não ser curada nunca mais, ia morrendo aos poucos. A pessoa parava de ter sensibilidade na pele, em partes extremas como as pontas dos dedos, nariz, etc. Depois, essas partes iam apodrecendo, fedendo, caindo, e a pessoa nem sentia. Que coisa terrível!
Aí, os leprosos eram forçados a morar longe das outras pessoas, porque a lepra era uma doença contagiosa, e eles não sabiam como evitar isso. Então, os leprosos se isolavam da sociedade, da família, amigos, todo mundo. Já pensou? Se acontecesse de um leproso se aproximar das outras pessoas, tinha a obrigação de gritar: "Imundo, Eu sou o imundo!" para as pessoas fugirem dele!
E como eu disse que lepra, na Bíblia, significava muita coisa, também significava pecado. Se você quisesse ver um símbolo do pecado, era só olhar para o leproso.
Mas acho que existe uma parte mais bonita. Relacione sua leitura de hoje com Mateus 8:2-4; Lucas 17:11-19 e você entrará um grande exemplo. É Jesus! Ele não correu da lepra e ainda curou os leprosos.
Moral da história? O pecado é a coisa mais terrível do mundo. Mas não importa quão impuro e quanto você esteja contaminado pelo pecado, Jesus não isola você. Jesus abraça-lhe, cura e perdoa, simplesmente, porque Ele ama. Desfrute desse amor enquanto você existir e seja feliz!

Twitter: @Valdeci_Junior
e
Fátima Silva

Um comentário:

  1. Como tempo passado e agora nosso tempo, a lepra(hanseníase) como pecado sem o Senhor/Salvador jesus Cristo, na vida das pessoas, só o senhor Jesus Cristo e o único remédio/medicamento, para a cura/salvação.

    ResponderExcluir

Quer dizer o que pensa sobre o assunto?
Então, escreva aí. Fique à vontade.
Mas lembre-se: não aceitamos comentários anônimos.
Agora, se quiser fazer uma pergunta, escreva para nasaladopastor@hotmail.com