quinta-feira, 9 de agosto de 2012

DEUS, SEMPRE DEUS - Isaías 63-66

Em Isaías 63, encontramos vários atributos de Deus que, na realidade, só foram realmente compreendidos e plenamente revelados no Novo Testamento. Aliás, existem cristãos que pensam que essas revelações de Deus nem existam no Antigo Testamento.


A primeira delas é sobre Jesus, o Salvador, com as vestes tingidas de sangue. Isso não foi revelado só no final dos evangelhos. Está nos primeiros versos (1-3) do capítulo 63.

A graça de Deus é outro ponto importante. Às vezes, pensamos que a graça só fez parte de uma suposta dispensação que existiu na era cristã. Mas observe como era o Senhor Deus do mundo antigo. Isaías 63:7-19 mostra Deus como um Senhor bondoso que, em sua misericórdia, nos salva mesmo sem merecermos. O que é isso, se não for graça?

Uma terceira característica de Deus, aparentemente seria uma revelação só do Novo Testamento, mas não é pelo fato de percebermos tal atributo divino no Antigo Testamento: a presença do Espírito Santo (Isaías 66:14).

A quarta característica parece que só a compreendemos quando Jesus viveu na Terra, dependente, como um homem encarnado. Ele passa a se comunicar com a primeira pessoa da Divindade, chamando esse ser divino de Pai. Dessa forma, passamos a identificá-Lo assim, também. Mas Deus é apresentado como o nosso Pai desde o tempo de Isaías: “Tu, SENHOR, és o nosso Pai, e desde a antigüidade te chamas nosso Redentor” (verso 16). Você se encontra com a figura de Deus como um Pai em pleno Antigo Testamento.

No capítulo 65:8 em diante, vemos algo que tem um paralelo, pelo menos parcial, em João 15: o fato de Deus ser o dono de uma vinha. Quando lembramos de Deus como viticultor, logo parece que vem à mente aquelas palavras de Jesus: “Eu sou a videira, vocês são os ramos, e o meu Pai é o agricultor.” Mas não é só em João; em Isaías 64, Deus também cuida de uma vinha.

Os escritos de João, principalmente o que João escreveu no Apocalipse, relata Deus preparando um lugar para Seus filhos, a Nova Terra, cuja capital é a Nova Jerusalém. Meio milênio antes de João, Isaías descreveu tudo isso, onde Deus restaura todas as coisas, dizendo: “Criarei novos céus e nova terra, e as coisas passadas não serão lembradas.”

Outra coisa que o Apocalipse descreve é a volta de Jesus. Observe a descrição da vinda de Deus em Isaías 66: “Veja! O Senhor vem num fogo!” E assim, temos a figura divina do juiz do fim dos tempos. O restante, deixarei para você descobrir na sua leitura.

Deus é sempre o mesmo. Ele é fiel! Isso dá segurança.

Um abraço,
Pr. Valdeci Júnior
@Valdeci_Junior
e
Fátima Silva

Um comentário:

  1. Linda postagem irmão , uma verdadeira aula,Aprendi mais.Muito grata. Achei otima.

    ResponderExcluir

Quer dizer o que pensa sobre o assunto?
Então, escreva aí. Fique à vontade.
Mas lembre-se: não aceitamos comentários anônimos.
Agora, se quiser fazer uma pergunta, escreva para nasaladopastor@hotmail.com